06/02/2017

Almofada que mata saudades do Verão

Tenho saudades do Verão.
Sim, não me importo dos primeiros dias de chuva em que até me enrosco numa manta a ver um filme, em que os sabores caseiros se traduzem num bolo quente de forno que se espalha pela sala, em que ir até à rua não é essencial porque a chuva e o vento lutam furiosamente pelos ares da rua.
Mas quando o frio e a chuva se instalam e teimam em ficar por mais do que aqueles dias máximos que uma alma portuguesa permite, entra em mim uma nostalgia que me faz recordar o quão bom são o calor, os dias longos, o sol a dar luz às cores e a vibração que se sente no ar.
Este fim de semana, já um pouco cansada dos dias chuvosos, enquanto mexia na arca da Tia São descobri um crochet perdido. Peguei nele, e em muito poucos minutos, transformei-o numa almofada que coloquei numa estante a decorar, mas que já tem como destino uma cadeira de baloiço para as minhas tardes de férias a ler.
Enquanto a cor laranja vivo me entrava pelo olhar e me fazia recordar o tempo de férias que já vai longe, aproveitei para ensinar o meu filho Miguel a dizer a palavra "peixe". E ele, no seu registo que só apetece apertar de amor, apontava e dizia a sorir: "Pêxe, mãe, pêxe".
Aqui fica para verem: fácil, fácil. Divirtam-se!


SHARE:

25/01/2017

Também crio histórias em papel

Já expliquei a razão principal da minha ausência no mês de Dezembro. Estive dedicada a contar histórias de vida. Porque, como disse, cada vida é uma história. E cada história pode ser escrita em forma de livro.
Nunca escondi que a escrita é outra das minhas paixões e, por isso, existe também aqui no meu blogue, a página "Anita Cria Histórias em Papel". E esta página pode ser recheada com um livro, uma carta, um presente embrulhado, uma oferta em forma de mensagem especial, pode ser tudo aquilo que eu quiser que tenha por base o papel e, na maior parte das vezes, as palavras.
Os livros são apenas uma parte desse mundo. E, como prometi também, vou contar algumas das histórias que contei, na esperança de que possam gostar delas.
A primeira que conto é a do Pedro. O Pedro fez dezoito anos. Uma idade bonita, aquela idade em que julgamos que o mundo é nosso (e é), em que estamos certos de que o podemos mudar (e podemos), aquela idade em que queremos ser tudo e ainda não sabemos bem qual o caminho que vamos escolher. A história do Pedro não é, ainda, uma história longa, mas já uma história cheia de emoções vividas por quem lhe quer bem, de palavras ditas por quem o rodeia, de conquistas de quem teve que aprender a crescer (as maiores de todas) de amizades feitas e desfeitas, dos primeiros amores, de aprendizagens diárias. No livro do Pedro contei histórias, recebi textos de amigos de familiares, de todos os que fazem a vida dele ter sentido.

«Dezoito anos são uma migalha no tempo que tens pela frente e na imensidão de tudo o que ainda tens para ver, explorar e aprender. Este livro conta apenas um pouco da primeira parte da história, o resto terás que ser tu a escrevê-la.»

Mas, do que já passou, o registo. Dos primeiros dias de vida:






Muitas já são as histórias, mas o melhor de tudo é ver a sua alegria quando recebe amor em forma de histórias e palavras que quem gosta dele lhe oferece.


Obrigada Pedro e família do Pedro por terem apostado neste presente e terem acreditado que eu seria capaz de materializar o amor que sentem por ele. Adorei!                                                                      

SHARE:

16/01/2017

Um atelier extra: A sweater mais famosa do mundo!

O frio ainda aperta e depois do sucesso dos ateliers de 2016 da sweater mais famosa do mundo - gosto de lhe chamar assim, dá-me uma energia positiva e faz-me sorrir - resolvi fazer mais uma edição. Ela está marcada para o dia 25 de Janeiro das 14:30 às 19:00.
Como quero que o atelier corra da melhor maneira e fazer uma sweater em tão poucas horas é muito importante que saibam que:

  1. A base da Sweater será sempre azul escura, com base num tecido que tenho disponível;
  2. O tecido que combinará com a base poderá ser escolhido com base nos tecidos disponíveis no meu atelier

O custo por pessoa é de 50€ e tem TUDO incluído: Moldes, tecidos e aviamentos.

E no fim sai com a peça concluída para vestir ou oferecer conforme imaginou.
É muito importante que, caso queira participar, se inscreva em geral@oatelierdaanita.pt para que possa preparar tudo para o seu momento.
Conto consigo!





 http://www.oatelierdaanita.pt/2016/09/a-minha-fatima.html


SHARE:

13/01/2017

Um colete para a minha Francisca

A minha sobrinha Francisca é uma mimocas. Como tenho duas filhas já crescidotas, a minha sobrinha de dois anos faz as delícias das minhas recordações, além de ser a companheira de todas as horas do meu filho Miguel.
Adoro oferecer-lhe presentes e adoro enchê-la de beijos, de abraços, de vestidos e ... chocolates, esta parte a minha irmã odeia, claro está, mas só para a ver toda lambuzada eu pago o preço da discussão.
Este fim de semana resolvi fazer-lhe um colete duplo que desse para ela vestir numa versão mais desportiva ou numa versão mais "pimpolha".
Pus mãos à obra e adorei o resultado.
Claro que partilho agora com todas o meu trabalho e, pela primeira vez, ofereço-vos o molde para poderem fazer igual. É só descarregarem no link:
Esta peça não é básica, pelo que recomendo que, mesmo com a ajuda do video, tenham alguma experiência em costura para o fazerem.

SHARE:

12/01/2017

Aulas livres de costura à sexta-feira

Como já disse, há novidades que vão surgir este ano. Está tudo a ser preparado, mas há uma que já vos posso dizer: todas as sextas-feiras vou fazer uma aula livre de costura que poderão aproveitar, quer de forma avulso, quer através da compra de um pacote.
Nestas aulas poderão fazer o que quiserem, apenas têm que nos avisar com uns dias de antecedência o que querem fazer e que tipo de experiência têm para podermos organizar tudo de forma proveitosa.
Fica assim uma espécie de encontro pré fim de semana em que nos divertimos a fazer o que gostamos. Não há nada melhor! E traga amigas para ser ainda mais divertido.

Pode comprar uma aula isolada ou um pacote de aulas que depois distribui pelas sextas-feiras, conforme sua disponibilidade. Eu estarei sempre por cá.

O custo por aula isolada é de 25€. Se comprar um pacote de quatro aulas terá um custo de 75€.

Se quiser pode trazer os seus tecidos preferidos, mas não é obrigatório (se usar tecidos de O Atelier da Anita terá um acréscimo de 15€)

Inscreva-se em geral@oatelierdaanita.pt
Espero por si!










SHARE:

10/01/2017

Estive ausente, mas tive saudades.

Nem acredito que estive este tempo todo sem dar notícias. A minha vida, no último mês do ano de 2016 foi um turbilhão de tanto trabalho que não consegui continuar assiduamente presente neste meu cantinho tão querido.
Não consigo justificar a minha ausência sem vos dizer o que andei a fazer. É que há coisas que faço que ainda não vos expliquei e que, este Natal, se converteram num enorme frenesim. Mas um frenesim tão doce... Estranho? Parece...
Eu explico: faço livros. Ouço histórias, recolho testemunhos, fotografias, entrevistas e transformo-as em livros de comemoração de datas especiais, livros de aniversários, de festas memoráveis, de histórias de família... livros de vida. Sim, livros de capa e miolo, palpáveis, bonitos, para ler e rever, sorrir e voltar a ler, em que os protagonistas são reais, são pessoas, são vida bem viva. Porque a história de cada um dá um livro que pode ser oferecido. E essa oferta é feita de amor puro, em forma de palavras que, normalmente, não são ditas.
Neste Natal fiz o livro dos dezoito anos da Constança e o dos dezoito anos do João Maria, fiz o das Bodas de Ouro da Helena e do Carlos, da Isabel e do Joaquim e o dos quarenta do Eduardo. Uma verdadeira loucura que não me deu tempo para respirar. A minha escrita ficou toda concentrada em cada uma daquelas vidas.
Nos próximos dias vou-vos explicar um pouco mais o que é este projecto maravilhoso que adoro e que se insere na minha rubrica Anita Cria Histórias em Papel que ainda não desenvolvi muito aqui.

Mas 2017 vai ser o meu ano. Vai ser o nosso ano. Estou cheia de energia para fazer coisas giras, partilhar coisas giras e ajudar-vos a realizarem coisas giras! E vou contar-vos tudo.
Regressei e muitas novidades vão aparecer por aqui.
Continuem sempre ao meu lado, pois são vocês a minha verdadeira energia. Vem daí 2017!
Obrigada!



SHARE:

14/11/2016

Umas tostas com sabor a Itália!

Estamos em Novembro e os programas caseiros apetecem. Apesar de o frio ainda não ter chegado, as lareiras ainda não estarem acesas, os fornos ainda não aquecerem a casa, o convívio entre amigos à volta da mesa quando já anoitece cedo, apetece muito.
Este fim-de-semana, experimentei fazer um mimo muito simples que uma amiga que vive em Itália me ensinou. Um mimo que veio mesmo a calhar pois, neste Outono que ainda não chegou, sabe bem um sabor que ainda cheire e saiba um bocadinho a Verão.
À base de burrata, um queijo mozzarella mais amanteigado, que tem a divina vantagem de se derreter na boca e de se misturar com os sabores dos ingredientes que o acompanham. As tostas, que são a base que acama tudo, são à escolha, a única condição é que sejam bem estaladiças.  Bom, bom, bom. E os amigos também gostaram!




Se quiser, pode juntar um bocadinho de rúcula e/ou uns fios muito finos de presunto desfiado. Ainda melhor!
Uma pequena dica para aquele momento de convívio que acontece mesmo antes de nos sentarmos à mesa. Um sucesso!

SHARE: